Dermatologia

Dermatologia

Você sabe o que é morfeia?

“A morfeia linear apresenta-se como uma faixa de pele esclerótica, deprimida, frequentemente com hiperpigmentação sobreposta. A morfeia linear é mais comum em crianças e afeta os membros, a face e/ou o couro cabeludo, geralmente como uma única lesão” (trecho retirado da obra Sinais Dermatológicos das Doenças Sistêmicas).

Você sabia que existem várias doenças sistêmicas (internas) que refletem diretamente na nossa pele? A morfeia é um exemplo de patologia interna que se expressa na pele, mas que não é muito conhecida. Para entender mais sobre esse universo, a Elsevier lança a 5ª edição do livro Sinais Dermatológicos das Doenças Sistêmicas.

O bom Dermatologista é aquele que sabe diagnosticar perante a diversidade e as semelhanças de doenças que se revelam na pele. A obra é uma boa ferramenta na hora de indicar o diagnóstico, pois utiliza diversas imagens para auxiliar o entendimento do leitor.

Dermatologia

Onicologia: o estudo das unhas

 

Não é apenas nosso corpo que adoece, nossas unhas também! O interessante é que não existe apenas um tipo de doença, mas sim várias. O livro Doenças da Unha ajuda a entender algumas delas.

A segunda edição, lançada pela Elsevier, conta com uma maior experiência dos autores. A obra possui conceitos essenciais de Onicologia (ramo da dermatologia que cuida das unhas). Por ser muito completo, Doenças da Unha não é só indicado para dermatologistas como também para clínicos gerais. Aborda assuntos como: manifestações clínicas, procedimentos diagnósticos e possíveis tratamentos. A utilização de recursos visuais torna o livro mais acessível e compreensível ao leitor.

Você sabia que, “o estudo dos tumores ungueais é de fundamental importância, visando ao esclarecimento da benignidade ou agressividade da lesão para a qual a opção cirúrgica a ser adotada pode levar a sequelas permanentes. Chamamos a atenção para a necessidade de investigação minuciosa em casos de tumores ungueais de curso agressivo, devido à possibilidade de progressão e disseminação, podendo chegar ao óbito.” (trecho retirado de Doenças da Unha).  

Dermatologia

O que é Lúpus Eritematoso Discoide?

 

O lúpus eritematoso (LE) é uma condição clínica multissistêmica que abrange um espectro, desde uma erupção cutânea limitada até uma grave, por vezes fatal, doença sistêmica. Antes do reconhecimento de Hargraves da célula LE, ela era diagnosticada por uma constelação de achados clínicos. Finalmente, o American College of Rheumatology (ACR) desenvolveu um conjunto de critérios que podem ser utilizados para a classificação do lúpus eritematoso sistêmico (LES).

Nas décadas de 1940 e 1950, os dermatologistas acreditavam que a maioria dos seus pacientes com lesões crônicas, cicatriciais de lúpus eritematoso discoide (LED), tinha poucos, se algum, achados sistêmicos, enquanto aqueles com eritema malar e/ou fotossensibilidade apresentavam doença sistêmica.

Lúpus Eritematoso Discoide

Lesões de LED são caracterizadas por eritema, telangiectasias, escamas aderentes, as quais variam de finas a espessas, tampões foliculares, despigmentação, atrofia e cicatriz. As lesões são frequentemente bem demarcadas e podem ser arredondadas, logo surgindo o termo discoide (semelhante a um disco). Os diagnósticos diferenciais mais comuns incluem doenças papuloescamosas como psoríase, líquen plano, sífilis secundária, infecção fúngica superficial e sarcoidose.

Veja exemplos retirados do livro “Sinais Dermatológicos das Doenças Sistêmicas”:

Dermatologia

Os perigos da exposição solar

 

Faltando pouco menos de um mês para a chegada do verão, a tentativa de conseguir o bronzeado perfeito pode ter um resultado preocupante. Nos últimos dez anos, as mortes por câncer de pele saltaram 55% no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Devido ao aumento constante de casos, o tema tem chamado atenção tanto das diversas especialidades médicas como da população em geral, especialmente pela diversidade de tratamentos disponíveis, o que gera um impacto positivo na qualidade de vida e de sobrevida dos pacientes.

A exposição à radiação ultravioleta (RUV) gera benefícios físicos e psicológicos, principalmente em relação à produção de vitamina D e à prevenção de doenças, como osteoporose e raquitismo, além de auxiliar no tratamento de doenças, como psoríase, vitiligo e dermatite atópica. Por outro lado, a exposição excessiva a esse tipo de radiação é responsável por causar muitas doenças, tanto na pele como queimaduras solares, envelhecimento precoce e cânceres de pele do tipo melanoma e não melanoma (CPNM), quanto nos olhos, com o desencadeamento de catarata e pterígio.

Texto escrito com informações do livro Oncologia Cutânea.

 

Dermatologia

Cientistas descobrem mecanismo celular que pode explicar calvície

 

Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade da Califórnia em São Francisco e publicada pela Revista Cell da Elsevier é destaque no jornal O Globo.

Células imunológicas conhecidas como T-regulatórias (ou Tregs) têm, na pele, uma função que vai além do controle da inflamação: elas estimulam diretamente células-tronco que promovem o crescimento dos pelos.

A descoberta do importante papel das Tregs neste processo resultou de experimentos em camundongos, os quais levaram à conclusão de que, sem a “parceria” destas células, as células-tronco não conseguem regenerar os folículos — levando, por exemplo, à calvície.

A matéria completa está disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/cientistas-descobrem-mecanismo-celular-que-pode-explicar-calvicie-21392433#ixzz4iZeQvTla

Tags:,
Dermatologia

Procedimentos e cirurgias na Dermatologia

Conheça duas sugestões de leitura da Elsevier sobre o tema e se atualize!

Em 5 de fevereiro é comemorado o Dia do Dermatologista, médico responsável pelos cuidados dos pelos, cabelos, unhas e pelo diagnóstico de doenças de pele. Para celebrar essa data, conheça dois destaques do portfólio da Elsevier na área.

O livro Dermatologia traz, em sua terceira edição, uma forte ênfase na aprendizagem visual. Esse compromisso reflete-se no uso de diagramas esquemáticos para transmitir os princípios da biologia da pele, bem como da cirurgia cutânea, e na inclusão de algoritmos, que fornecem uma lógica como abordagem prática para problemas clínicos encontrados com frequência.

Além disso, a obra relata que um considerável número de medicações tem sido declarado como indutores de queda de cabelo. As medicações afetam os folículos da estrutura dérmica através de dois mecanismos principais: eflúvio anágeno e eflúvio telógeno.

Cirurgia da Pele Procedimentos em Dermatologia, também na terceira edição, aborda como os procedimentos dermatológicos têm evoluído ao longo dos últimos cinco anos. Novos capítulos foram adicionados para apresentar tratamentos de operação dermatológica totalmente desenvolvidos para vitiligo, hidradenite supurativa e rejuvenescimento da genitália externa feminina.