A arte de criar um diagnóstico

 

Além de comemorar o Dia da Consciência Negra, 20 de Novembro também é  especial para os biomédicos. A data celebra os profissionais que trabalham em parceria com os médicos para descobrir diagnósticos por meio de análises físico-químicos e microbiológicos laboratoriais.

O diagnóstico é considerado uma arte, não uma ciência, embora o processo seja passível da análise científica. Realizar um diagnóstico é o equivalente a propor uma hipótese, que deve ser testada por experimentos. Já os resultados podem sustentar ou refutar a hipótese, que talvez seja estendida, alterada ou descartada em favor de uma alternativa.

O campo de diagnósticos moleculares tem se caracterizado como uma tecnologia veloz, assim como pela variedade rapidamente crescente de possíveis aplicações clínicas. Além disso, o sequenciamento de ácido nucleico abriu um amplo espectro de possíveis aplicações de novos diagnósticos, nos quais dez a centenas de milhões de moléculas diferentes são identificadas e quantificadas em um único experimento por meio do elevado rendimento clínico da bioinformática nas análises de dados.

Texto escrito a partir dos livros Bioquímica Clínica 3ª Edição e Fundamentos da Química Clínica e Diagnóstico Molecular 7ª Edição.

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone