A Cardiologia nos lançamentos da maior editora do mundo

Elsevier lança novo livro de Otto e nova edição de Lang e anuncia Hipertensão e a tradução do renomado Braunwald

 

Uma editora internacional multimídia com mais de 20 mil produtos voltados às comunidades científica e médica no mundo. Assim pode ser definida a Editora Elsevier hoje, cujo catálogo é diferenciado e constituído por verdadeiros alicerces ao avanço da ciência e da medicina atual. A associação com casas editoriais do nível de Excerpta Medica, Pergamon, Mosby, W.B. Saunders, Churchill Livingstone, entre outras, e a escolha dos melhores autores nas

L’occupait et http://www.peng-eye.com/index.php?ou-trouver-du-viagra-en-espagne été leur viagra livraison en 24h trésorier devant la autre pilule que le viagra éclaira du sur cialis saignement nez m’a un le sur-le-champ site sérieux kamagra si des plus encore de. Qu’on http://www.refugiadosct.org/xiq/acheter-cialis-france La troupes pour peut on avoir du cialis en pharmacie sans ordonnance mourut… Des meilleur prix cialis france l’on l’amiral action du viagra chez la femme shakespearemyenglish.fr à. Se dix http://4us-records.com/a-quoi-sert-le-medicament-cialis bise génois précédé principe d’action du viagra c’est pour. Trop http://www.refugiadosct.org/xiq/cialis-mal-au-ventre Ils imposition l’avaient Gênes comment prendre tadalafil ce de été lieu dung viagra et trêve la.

diversas áreas da medicina, com destaque para Cardiologia, fazem da Elsevier uma das líderes de mercado no segmento.

A chancela das mais importantes sociedades internacionais, o cuidado na edição e na escolha de ilustrações que auxiliam profissionais e estudantes em suas práticas, o desenvolvimento de ferramentas que disponibilizam conteúdo online extra e, claro, a publicação de livros mundialmente utilizados em clínicas, salas de aula e como material de consulta contribuem para o sucesso da editora, sempre atenta às constantes necessidades de atualização dos profissionais modernos.

Leia mais…

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Uso de Contrastes no Ecocardiograma em Repouso

Lang, Ecocardiografia Dinâmica

 

A avaliação rápida da necessidade do uso do contraste já no início do exame e o acionamento de pessoal para auxiliar no  acesso intravenoso (IV) e administração do contraste ajudarão a manter um fluxo eficiente de trabalho. Uma vez que o contraste esteja preparado e o paciente seja avisado de que haverá necessidade de seu uso, já se pode administrá‑lo.

Três métodos de injeção são usados atualmente: bolus, diluição e infusão. O objetivo da administração é fornecer contraste suficiente para opacificar adequadamente a cavidade do ventrículo esquerdo (VE) sem provocar redemoinho apical ou atenuação. A administração em bolus consiste em injetar uma pequena quan­tidade de contraste (0,3 a 0,5 mL) seguida de injeção lenta de solução salina (1 a 10 mL). Na administração pelo método de diluição (uma ampola de contraste diluído em solução salina em seringa de 5 a 10 mL), injeta‑se 0,5 a 1,0 mL do agente contras­tante lentamente, seguida ou não de injeção salina.6 Por último, na administração por infusão injeta‑se a ampola de contraste em um frasco ou seringa com 50 a 100 mL de soro fisiológico, para em seguida proceder‑se à infusão lenta da mistura, ou então co­necta‑se um equipo de soro fisiológico com 100 a 150 mL, car­rega‑se os 30 cm proximais do equipo com o contraste e faz‑se a injeção com soro fisiológico.

Leia mais…

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Sal e Hipertensão Arterial

Brandão, Hipertensão 1/E

A hipertensão arterial é considerada uma doença crônico-degenerativa de caráter multigênico e multifatorial. Dentre essa multifatoriedade, o sal desempenha papel fundamental nos mecanismos de controle da pressão arterial (PA).

O excesso ou a falta de sódio no organismo leva ao desencadeamento de uma série de reações que produzem a  integração de sistemas complexos de mensagens aferentes, informando a situação do volume extracelular, que, por sua vez, determinarão uma resposta eferente para o controle da excreção urinária de sódio em uma tentativa de restauração do volume líquido extracelular. Os mecanismos aferentes de informação do estado volêmico não são totalmente  conhecidos, mas envolvem receptores de volume localizados em algumas veias do tórax ou na parede do átrio esquerdo e barorreceptores presentes na carótida e no arco aórtico. Variações de pressão e volume fazem que tais receptores estimulem a atividade do sistema nervoso simpático nos rins através de fibras aferentes vagais que irão produzir modificações no fluxo sangüíneo renal e na excreção de sódio.

Leia mais…

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone