Aprenda mais sobre doenças que acometem o complexo buco-maxilo-facial

 

Especialidade da odontologia, a Patologia Oral estuda as doenças que acometem o complexo buco-maxilo-facial. Os dentistas precisam de um conteúdo clinicamente relevante, no qual patologias e condições sejam classificadas de acordo com a aparência clínica.

Patologia Oral: Correlações Clínicopatológicas” simula o que o profissional encontrará na prática. O formato do livro inclui fotos clínicas e radiografias de uma grande variedade de condições orais e lista as características principais, etiologia e importância de cada patologia específica.

A obra segue o estilo de um atlas, ricamente ilustrada e completamente atualizada, é uma excelente referência para identificar, diagnosticar e desenvolver um plano de tratamento para as doenças orais.

Para saber mais sobre Patologia Oral: Correlações Clínicopatológicas clique aqui.

 

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Toxina Botulínica em Odontologia é destaque no Notícias da Saúde

 

A obra Toxina Botulínica em Odontologia, lançamento da Elsevier, é destaque no site Notícias da Saúde.

“O livro é indicado para cirurgiões-dentistas que trabalham em diferentes especialidades, como disfunção temporomandibular, prótese, oclusão, cirurgia bucomaxilofacial, reabilitação oral, implantodontia e dor. Na obra, os autores abordam as atualizações científicas pelas quais a odontologia está passando e estimula os dentistas a conhecerem melhor a toxina botulínica de forma a aplicá-lo com segurança em sua prática clínica…”

Veja mais aqui.

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Toxina Botulínica é a novidade nos consultórios odontológicos

Método pode ajudar a melhorar a qualidade de vida de muitas pessoas

 Embora seja bastante usada na medicina, a toxina botulínica é um recurso novo na odontologia. No Brasil, o uso da substância é permitido na área para fins funcionais desde 2011, mas em setembro de 2016 o Plenário do Conselho Federal de Medicina aprovou uma resolução que autoriza a utilização também para fins estéticos.

O livro Toxina Botulínica em Odontologia, lançado pela Editora Elsevier, atualiza o profissional de odontologia sobre a legislação existente, as indicações e contraindicações, além das patologias nas quais é indicada, com seus respectivos diagnósticos, e também dos protocolos de uso.

Desta forma, os autores abordam as atualizações científicas pelas quais a odontologia está passando e estimula os dentistas a conhecerem melhor a toxina botulínica de forma a aplicá-la com segurança durante a prática clínica em diferentes especialidades.

“A obra aborda as atividades odontológicas nas quais está indicada a aplicação de toxina botulínica. Nele, de forma didática e meticulosa, explicamos desde as propriedades bioquímicas, histórico, legislação atualizada, indicações e contraindicações, cuidados e efeitos colaterais, técnicas de manipulação da toxina, até os diversos protocolos de seu uso para capacitar o cirurgião dentista nas diferentes aplicações atribuídas à odontologia”, diz Célia Marisa Rizzatti Barbosa, autora.

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A saúde bucal também merece atenção

No dia 25 de outubro (domingo) será comemorado o Dia Nacional do Dentista. A data é dedicada a conscientizar a sociedade da importância de manter uma boa higiene bucal, pois é durante a consulta que o dentista avalia a boca como um todo, podendo atuar na prevenção de problemas como gengivite, cáries e inflamações, além de conseguir tratá-los previamente. As consultas devem ser realizadas regularmente, a orientação é que sejam a cada seis meses, para garantir a manutenção da saúde dos dentes e da gengiva.

Em um primeiro momento, o dentista avalia a presença de cáries, o estado das gengivas, a mordida, a saliva e movimentação do maxilar. O processo pode aparentar ser bem simples, porém, somente um profissional especializado consegue detectar problemas graves, como a doença periodontal, que se caracteriza como um conjunto de condições inflamatórias, de caráter crônico, e de origem bacteriana, que começa afetando o tecido gengival e pode levar, com o tempo, à perda dos tecidos de suporte dos dentes. Os danos que essa doença causa são bem evidentes, mas já os sintomas são totalmente silenciosos e apenas um dentista pode descobri-la em seu estágio inicial.

No intervalo entre uma consulta e outra, cabe ao paciente colocar em prática as lições que recebeu e manter uma higiene bucal adequada até a próxima visita. As orientações básicas para manter a saúde bucal, são: escovar bem os dentes e usar o fio dental diariamente, ingerir alimentos balanceados e evitar comer doces entre as principais refeições, usar produtos de higiene bucal (creme dental, enxaguante bucal) que contenham flúor, garantir que crianças abaixo de 12 anos tomem água potável fluoretada ou suplementos de flúor, se habitarem em regiões onde não haja flúor na água.

ÁREAS QUE UM CIRURGIÃO-DENTISTA PODE ATUAR

Primeiramente, para exercer a profissão é obrigatório que o bacharel obtenha o registro do Conselho regional de Odontologia (CRO). O profissional da odontologia não é apenas aquele que restaura dentes, realiza implantes, extrações ou atua na prevenção de cáries. O cirurgião dentista pode se especializar em diversas áreas, como a periodontia, a dentística restauradora, estomatologia, implantodontia, endodontia, odontopediatria, odontologia para pacientes especiais (pessoas com deficiências mentais ou físicas que necessitam de cuidados ainda mais rígidos e não tem condições de fazer a prevenção adequada sem a ajuda de seus cuidadores) e muito mais. Esse profissional pode atuar no serviço público – com a melhoria das políticas públicas para a saúde, as contratações estão sendo ampliadas através dos programas de saúde como Brasil Sorridente, do Governo Federal, Programa Saúde da Família e outras ações do Sistema Único de Saúde (SUS) -, ou ele pode abrir seu próprio consultório e trabalhar de forma autônoma. Normalmente devido aos altos custos de locação e equipamentos, os odontologistas iniciantes optam por dividir as instalações de atendimento com outros especialistas.

SUGESTÃO DE LEITURA

A formação básica da graduação em odontologia inclui disciplinas da área de ciências biológicas e da saúde, como: anatomia humana aplicada à odontologia, patologia, fisiologia, epidemiologia, ética e bioética, histologia, microbiologia, psicologia, imunologia, bioquímica, genética, introdução à metodologia científica e farmacologia. As matérias profissionalizantes incluem radiologia, material dentário, dentística, endodontia, exodontia, periodontia, cirurgia e traumatologia, próteses, odontopediatria, ortodontia, anestesiologia, diagnóstico por imagem, técnica radiográfica, cariologia e dentística, entre outras. No decorrer da graduação o aluno também verá matérias como restaurações e demais procedimentos em aulas práticas de laboratório, utilizando um manequim odontológico. A partir do terceiro ano, o estudante já passa a atender pacientes na clínica da faculdade. Para que o aluno chegue no estágio de atendimento a pacientes confortável e seguro quanto ao que aprendeu em sala, a Elsevier disponibiliza obras de odontologia, publicados por ela, que explicam passa a passo de atendimento e tratamento de doenças bucais, traumas facias e muito mais. Confira alguns livros do catálogo Elsevier de odontologia:

Odontologia Multidisciplinar

Prótese sobre implantes dentais, 2ED

Aplicação dos sistemas CAD/CAM na odontologia restauradora

ORIGEM DO DIA DO DENTISTA NO BRASIL

No dia 25 de Outubro de 1884, assinou-se o Decreto de Lei nº 9.311, que criou os primeiros cursos de graduação em Odontologia no Brasil, especificamente nos estados da Bahia e Rio de Janeiro. Na mesma data também se comemora o Dia Nacional da Saúde Bucal.

Por meio de uma portaria do Conselho Federal de Odontologia (CFO), esse dia tornou-se uma forma de homenagear quem se dedica à profissão no Brasil. Só no país estão 19% dos dentistas do mundo, sendo ao todo 261.360 profissionais cadastrados – de acordo com dados do CFO.

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone