Estude com conteúdo elaborado por cirurgiões especialistas do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia

 

A data 19 de Setembro foi escolhida como Dia do Ortopedista por marcar a inauguração da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) em 1935.

Ortopedia e Bloqueio de Nervos Periféricos” aborda os principais aspectos anestésicos que envolvem os procedimentos ortopédicos e do trauma musculoesquelético.

O livro ainda traz as técnicas dos bloqueios de nervos periféricos dos membros superiores e inferiores, incluindo as questões correlatas que os envolvem, como bloqueios contínuos, lesões neurológicas e manejo dos anestésicos locais.

Para compor o livro, cirurgiões especialistas em diversas áreas de atuação cirúrgica do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia foram convidados a expor de forma sucinta, considerações cirúrgicas úteis para o anestesiologista.

Para mais informações sobre o livro Ortopedia e Bloqueio de Nervos Periféricos clique aqui.

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Dia do Ortopedista

Os médicos ortopedistas também têm uma data inteiramente dedicada a sua profissão. O dia 19 de setembro foi determinado como sendo o dia do ortopedista em homenagem à fundação da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia. No Brasil, são milhares de ortopedistas formados, atuando para melhorar a qualidade de vida da população, desenvolvendo técnicas que ajudam a corrigir certas deformidades, aliviar dores e deixar o corpo do paciente o mais saudável possível.

A ortopedia vem se desenvolvendo cada vez mais de acordo com as mudanças na área da saúde e do surgimento de novas doenças. O marco de sua evolução foi o início do século XX, com a criação dos Raios-x. As técnicas desenvolvidas a partir deste século  se tornaram muito importantes e são usadas até hoje, ajudando os profissionais a detectarem e fazerem as correções necessárias no corpo humano.

Profissão ortopedista

Para ser ortopedista é necessário se formar em medicina e especializar-se em ortopedia (através de pós-graduação, mestrado e doutorado), além de ser necessário fazer residência em institutos especializados ou hospitais. O curso de ortopedia tem graduação de seis anos, somados a mais três de residência e um ano opcional de educação especializada. Os ortopedistas podem atuar em clínicas e consultórios privados, casas de saúde, academias e associações esportivas, hospitais públicos e privados, e afins.

As principais atividades exercidas nessa profissão são: manter o paciente informado sobre os cuidados necessários durante seu tratamento, solicitar exames específicos e detalhados para identificar as causas do problema, elaborar tratamentos específicos para cada necessidade, acompanhar a recuperação do paciente e observar os avanços conseguidos durante o tratamento, etc.

Catálogo Elsevier de ortopedia

O profissional de ortopedia precisa saber profundamente de assuntos como: os aspectos científicos básicos e clínicos das cirurgias do joelho, bem como as informações relevantes mais recentes, incluindo biomecânica, tratamento não operatório da artrite do joelho, opções de tratamento para cartilagem articular, reconstruções ligamentares, osteotomias, substituição total ou parcial do joelho e tratamento cirúrgico de fraturas ou tumores do joelho. Todas essas informações completas, além de fotografias detalhadas intraoperatórias, uma biblioteca com mais de 160 vídeos sobre joelho na versão online do livro e um glossário de modelos de RTJ, estão presentes na obra Insall & Scott – Cirurgia do Joelho 5ª Edição, publicada pela editora Elsevier.  


Confira também:

Mão e punho – Série ortopedia cirúrgica SBOT

Joelho – Série ortopedia cirúrgica SBOT

Coluna – Série ortopedia cirúrgica SBOT

Ombro e cotovelo – Série ortopedia cirúrgica SBOT

image2

image3

imagem1

image4

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone