Elie Metchnikoff, o pai da Imunidade Celular

Elie Metchnikoff (1845–1916).Este zoólogo russo perceptivo pode ser legitimamente reconhecido como o pai do conceito da imunidade celular – aquela em que certas células especializadas medeiam a defesa contra as infecções microbianas. Interessado no comportamento de células móveis de larvas de estrelas-do-mar transparentes, observou que, algumas horas após a introdução de espinhos de rosa nas larvas, estas foram cercadas pelas células móveis.

Metchnikoff incluiu, em suas investigações, o estudo de leucócitos de mamíferos, e mostrou a capacidade dos mesmos de englobar microrganismos, um processo por ele denominado “fagocitose” (literalmente, ingerido por células). Como esse processo de fagocitose mostrou ser mais eficaz em animais que se recuperavam de um episódio infeccioso, Metchnikoff chegou à conclusão de que a fagocitose conferiu a principal defesa contra a infecção.

Ele descreveu a existência de dois tipos de fagócitos circulantes: o leucócito polimorfonuclear, que foi denominado “micrófago”, e um fagócito maior, denominado “macrófago”.

Os macrófagos são produzidos na medula óssea como promonócitos, que dão origem aos monócitos sanguíneos circulantes e, finalmente, transformam-se em macrófagos maduros, encontrados em todos os tecidos, que são denominados, coletivamente, de “sistema fagocítico mononuclear”. A maioria dos agentes infecciosos encontrados por um indivíduo é impedida de penetrar no organismo humano por uma variedade de barreiras bioquímicas e físicas.

Esses macrófagos, presentes em todo o tecido conjuntivo, estão também associados à membrana basal de pequenos vasos sanguíneos. Estão particularmente concentrados nos pulmões (macrófagos alveolares), no fígado (células de Kupffer) e no revestimento dos seios medulares dos linfonodos e sinusoides esplênicos, onde estão estrategicamente localizados para filtrar e eliminar material estranho carreado pelo sangue e/ou linfa.

Outros exemplos de macrófagos são a micróglia no cérebro, as células mesangiais no rim, as células sinoviais A e os osteoclastos nos ossos. Em geral, são células de vida longa que dependem das mitocôndrias para seu metabolismo energético e apresentam elementos de retículo endoplasmático rugoso, relacionado com a formidável gama de diferentes proteínas secretoras por elas geradas.

O corpo humano tolera uma quantidade de microrganismos comensais que competem eficientemente com muitos patógenos potenciais. Embora Metchnikoff acreditasse que a imunidade celular decorrente da fagocitose fosse o principal, senão o único, mecanismo de defesa contra microrganismos infecciosos, hoje sabemos que a eficiência do sistema fagocítico é muito incrementada pela cooperação de fatores humorais, particularmente dos anticorpos e do complemento.

Saiba mais sobre Microbiologia Médica -> http://bit.ly/1adNeY2

Share on FacebookShare on LinkedInShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone