Uma versão mais social da enfermagem

 

“O papel da enfermeira inclui assumir a liderança na preservação das práticas de enfermagem e demonstrar a sua contribuição aos cuidados de saúde do seu país. As enfermeiras do futuro, portanto, deverão ser pensadoras críticas, defensoras do paciente, tomadoras de decisões clínicas e educadoras do paciente dentro de um amplo espectro de serviços de prestação de cuidados.” (trecho retirado do livro Fundamentos de Enfermagem).

A 9ª edição de Fundamentos de Enfermagem contém conceitos de enfermagem fundamentais e utiliza a prática baseada em evidências como método pilar de ensino. Por intermédio de uma estrutura teórica, técnica e prática se mostra uma ferramenta de auxílio ao professor. A obra possui uma estrutura funcional que facilita o ensino, pois obtém recursos tanto textuais quanto visuais. Desse modo o livro é uma ferramenta de instrução para o estudante e um manual de ensino para o professor.

A edição brasileira, lançada pela Elsevier, tem como base o Código de Ética de Enfermagem nacional e as regulamentações impostas pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na sua execução, pois dessa forma se adapta a realidade do país.

Pode-se dizer que a obra propõe uma nova forma de pensar a prática de enfermagem no âmbito profissional, com uma valorização maior do social.

Para saber mais acessar aqui

A “bíblia da nutrição”

Segundo autores do livro Krause: Alimento, Nutrição e Dietoterapia um de cada três adultos, nos Estados Unidos, terá diabetes em 2050 e dois em cada três apresentam sobrepeso ou obesidade.

A Elsevier lança a 14ª edição do livro Krause: Alimento, Nutricao e Dietoterapia, aqui no Brasil. A obra conta com 50 autores que abordam o assunto de maneira atualizada, com novos conteúdos e dietas recentes de todo o âmbito do campo da nutrição.

Referência na área da saúde e de reeducação alimentar, a obra é de grande praticidade para os estudantes do ramo da saúde. Pode-se dizer que o livro é conhecido como a “bíblia da nutrição”.

Para mais informações acesse aqui

A constante evolução da enfermagem

 

A enfermagem está sempre respondendo a mudanças dinâmicas e desafios contínuos. Nos dias de hoje, os enfermeiros precisam ter uma base ampla de conhecimentos para trabalhar no cuidado. E o mais importante: saber como aplicar as melhores evidências na prática a fim de garantir os resultados positivos para seus pacientes.

O papel do profissional de enfermagem inclui assumir a liderança na preservação das práticas e demonstrar a sua contribuição aos cuidados de saúde do seu país. Os enfermeiros do futuro, portanto, deverão ser pensadores críticos, defensores do paciente, tomadores de decisões clínicas e educadores do paciente dentro de um amplo espectro de serviços de prestação de cuidados.

Abaixo selecionamos uma imagem do livro “Fundamentos de Enfermagem” para você, enfermeiro, estudar o sistema digestório.

Assista também o video do prof. Marcelo Santos sobre a importância da obra “Fundamentos de Enfermagem” para a formação do enfermeiro. Clique na imagem!

Medicina veterinária para felinos atualizada

Radiografia torácica lateral de um gato com infecção disseminada por Mycobacterium avium mostra um padrão broncointersticial difuso. O gato apresentava vômito e inapetência. A principal alteração clínica foi a linfoadenopatia mesentérica palpável. Não havia sinais respiratórios.

Essa imagem faz parte do livro “Medicina Interna de Felinos”, lançamento da Elsevier.

A obra apresenta 103 capítulos totalmente novos, que refletem as últimas descobertas. Os tópicos estão baseados em evidências, tais como microbioma intestinal; diagnóstico e tratamento doenças infecciosas; monitoramento contínuo da glicose; terapia com células-tronco; dermatoses emergentes; controvérsias na nutrição felina; anestesia para o gato idoso e muito mais!

Metodologia científica para a área da saúde – Ensaios Clínicos: Definições

¹Considerações de natureza ética dão pleno apoio à condução de ensaios clínicos, que constituem a maneira correta de estudar a segurança e a eficácia das novas terapias e estabelecer uma comparação adequada com as já existentes no mercado. Por exemplo, a melhor maneira de saber se um novo tratamento para câncer do pulmão é mais vantajoso quando comparado às melhores terapias conhecidas, é conduzindo ensaios clínicos que cumpram as exigências da metodologia científica e atendam às questões de ética. Ensaios mal conduzidos, além de usarem participantes sem trazer benefícios para eles próprios ou para o conhecimento científico, desperdiçam verbas e ainda podem afetar a conduta de outros profissionais, que os tomam como verdades ou até como modelos para fazer outros ensaios.

O que é ensaio clínico?

Ensaio clínico (clinical trial) ou estudo de intervenção (interventional study) é um estudo clínico no qual os participantes são designados para receber uma ou mais intervenções (ou nenhuma), para que os pesquisadores possam avaliar os efeitos dessas intervenções em resultados biomédicos ou relacionados com a saúde. O procedimento para designar as intervenções (ou nenhuma intervenção) é estabelecido no protocolo.


As intervenções podem ser drogas, procedimentos cirúrgicos, procedimentos de laboratório, procedimentos radiológicos, dispositivos para uso em humanos, métodos de diagnóstico, métodos. Por exemplo, a melhor preventivos etc. Tais intervenções são aplicadas aos participantes dos ensaios clínicos de maneira padronizada, seguindo um protocolo de pesquisa. Nem todos os participantes são submetidos às intervenções ao mesmo tempo, mas é preciso que todos sejam monitorados durante o mesmo período de tempo ou até determinado desfecho. Os pesquisadores devem manter os riscos dos ensaios no menor patamar possível, procurando maximizar os benefícios para os próprios participantes.

exemplo

¹Trecho retirado integralmente do livro Metodologia científica para a área da saúde

Altura é documento para o coração!

flickr: sharynmorrowFaltando apenas alguns dias para o 5º Congresso Brasileiro de Imagem Cardiovascular da SBC (23º Congresso Brasileiro de Ecocardiografia), a Universidade de Leicester, situada na Grã-Bretanha, publicou um estudo interessante sobre doença cardíaca, tema principal do evento.

Será que as pessoas baixinhas têm mais riscos de sofrer intempéries cardiovasculares? Parece que sim. Os números dão conta de que a cada 6,4 cm a mais de altura, o risco cai 13,5%. A pesquisa investigou 200 mil indivíduos, com base em partes do DNA humano que são responsáveis pela altura e saúde do coração.

Viviane Hotta, autora do livro ‘Técnicas Avançadas em Ecocardiografia’, lançado pela editora Elsevier, e que estará no DIC 2015, no próximo dia 23, fala da relevância das doenças cardiovasculares.

“É umas das principais causas de mortalidade mundial e também no Brasil, tanto em homens como em mulheres. Dentre os fatores de risco mais importantes para as doenças cardíacas, destacam-se a hipertensão arterial, diabetes mellitus, dislipidemias (alterações na dosagem do colesterol total e frações), obesidade e tabagismo, além de antecedentes familiares de risco (…).”

Evolução da Ecocardiografia

“O desenvolvimento exponencial de novas modalidades terapêuticas para as doenças cardiovasculares, como a terapia de ressincronização cardíaca (TRC) e dispositivos de assistência circulatória, além do aumento significativo das intervenções percutâneas para tratamento das lesões valvares, oclusão do apêndice atrial esquerdo, miocardiopatia hipertrófica e defeitos septais, fez que a ecocardiografia se tornasse um método absolutamente necessário para adequada seleção, planejamento terapêutico e sucesso das intervenções”, aborda Hotta na introdução do livro.

Ainda sobre a relação altura x doença cardiovascular, essa não é uma abordagem tão nova, já que há 50 anos esse fator de risco já havia sido considerado, mas sem entendimento dos especialistas sobre como isso seria possível.

É importante ressaltar que os pesquisadores esperam que um novo estudo, agora com o foco nos genes responsáveis pela altura e saúde do coração possa trazer, num futuro próximo, um melhor esclarecimento no diagnóstico para tratamento e prevenção.