Um livro importante!

O vencedor da 2ª Olimpíada de Anatomia Elsevier, Jan-Peter Périssé revela como o livro “Gray’s Anatomia Clínica para Estudantes” está sendo importante para a sua formação e estudos em Anatomia. #Elsevier #Anatomia #Saude

Assista ao vídeo!

 

Paixão pela anatomia!

Jan-Peter Périssé, estudante de medicina e grande vencedor da 2ª Olimpíada de Anatomia Elsevier, nos conta um pouco sobre a sua paixão pela Anatomia e o quanto o incentivo de seus professores fez diferença.

Medicina veterinária para felinos atualizada

Radiografia torácica lateral de um gato com infecção disseminada por Mycobacterium avium mostra um padrão broncointersticial difuso. O gato apresentava vômito e inapetência. A principal alteração clínica foi a linfoadenopatia mesentérica palpável. Não havia sinais respiratórios.

Essa imagem faz parte do livro “Medicina Interna de Felinos”, lançamento da Elsevier.

A obra apresenta 103 capítulos totalmente novos, que refletem as últimas descobertas. Os tópicos estão baseados em evidências, tais como microbioma intestinal; diagnóstico e tratamento doenças infecciosas; monitoramento contínuo da glicose; terapia com células-tronco; dermatoses emergentes; controvérsias na nutrição felina; anestesia para o gato idoso e muito mais!

Guyton & Hall Tratado de Fisiologia Médica chega ao Brasil pela Elsevier com nova edição

Livro faz parte de um pacote de lançamentos da obra junto a uma nova versão do livro de perguntas e respostas e uma edição de bolso.

Nova edição traz a revisão dos capítulos, a inclusão dos mais atuais princípios da fisiologia, ilustrações atualizadas, agora em cores, e novas referências.

A Elsevier traz para o mercado brasileiro a edição renovada e revista de uma das obras mais tradicionais da área de saúde: Guyton & Hall Tratado de Fisiologia Médica. Junto, apresenta o livro de Guyton & Hall Perguntas e Respostas em Fisiologia em edição atualizada e a versão de bolso Guyton & Hall Fundamentos de Fisiologia Médica, uma compilação dos principais fundamentos abordados na obra principal.

A nova edição traz a revisão dos capítulos, ilustrações atualizadas e novas referências. A bibliografia selecionada, ao fim de cada capítulo, contém referências de artigos publicados em revistas científicas recentes que podem ser acessadas, gratuitamente, pela internet.

Traz também tabelas de resumo com os processos-chaves apresentados no texto, acréscimo do número de correlações clínicas em todo o texto e nos mecanismos moleculares e celulares importantes para a medicina clínica e nova tabela de referência rápida de valores laboratoriais padrão no final do livro.

Além disso, a obra apresenta acesso ao material online complementar no Student Consult com conteúdo atualizado, incluindo banco de imagens do livro, teste com perguntas e respostas, animações, pranchas extras e também novos vídeos em 3D do Homem Virtual – uma forma inovadora, simples, visual e objetiva de aprender Fisiologia.

Guyton & Hall Fundamentos de Fisiologia Médica é a versão de bolso do conteúdo de Guyton & Hall Tratado de Fisiologia Médica. Tem como objetivo compilar os princípios fisiológicos básicos necessários para estudo da medicina. É um guia para estudantes que desejam rever um grande volume de material do texto original com rapidez e eficiência. Os títulos das seções indicam os principais conceitos nos parágrafos de acompanhamento.

A 3ª edição de Guyton & Hall Perguntas e Respostas em Fisiologia traz mais de 1.000 perguntas e respostas revisadas e atualizadas com o conteúdo da 13ª edição de Guyton & Hall Tratado de Fisiologia Médica. Este livro foi projetado para fornecer uma revisão abrangente da fisiologia médica por meio de questões de múltipla escolha e explicações sobre as respostas. Estudantes de medicina que se preparam para o United States Medical Licensure Exams (USMLE) também encontram utilidade neste livro, pois a maioria das perguntas do teste tem sido construída de acordo com o formato do USMLE.

Conteúdo produzido por: DFreire Comunicação e Negócios

Mudanças simples promovem melhora na saúde física e mental do aposentado

Hoje é o dia do aposentado e falar sobre isso é de suma importância, pois é justamente no perdido da aposentadoria que os idosos abandonam hábitos e rotinas de trabalhos diários, precisando preencher esse tempo de uma forma útil e agradável. Uma rotina ativa com tarefas simples, incluindo atividades físicas, pode fazer uma grande diferença na forma como ele irá encarar essa nova realidade e ainda trazer benefícios à sua saúde física e mental.

Quando realizada com regularidade, a atividade física se torna uma das principais bases para a manutenção da saúde do ser humano, e para a promoção do envelhecimento saudável. Tornando-se ainda mais importante para os idosos. Isto porque quando envelhecemos, o corpo sofre algumas transformações como: perda da força muscular, diminuição da flexibilidade, da agilidade e da coordenação. Contudo, todas estas alterações, que fazem parte do processo natural do envelhecimento, podem ser amenizadas através de mudanças nos hábitos de vida, que ainda incluem reeducação alimentar.

¹PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL

Atualmente, podemos definir promoção à saúde como o conjunto de ações que visam promover a qualidade de vida e reduzir vulnerabilidade e riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes – modos de viver, condições de trabalho, habitação, ambiente, educação, lazer, cultura, acesso a bens e serviços essenciais (Ministério da Saúde, 2010).

O sedentarismo constitui um problema de saúde pública em todo o mundo, especialmente entre os idosos. Um estudo realizado no município de São Paulo mostrou que 73,4% dos idosos não se exercitam de forma adequada, sobretudo mulheres e os maiores de 75 anos (Lebrão,2003). Os motivos para isso são vários: falta de recursos financeiros, resistência à mudança de hábitos, desconfortos musculoesqueléticos diversos, risco de quedas, risco de descompensação de doenças crônicas, entre outros.

[…] De maneira geral, são aconselhados exercícios que desenvolvam a flexibilidade, o equilíbrio e a força muscular. As atividades em grupo proporcionam o chamado “ganho secundário”, que inclui o equilíbrio emocional, a autoestima e a integração social, benefícios menos comumente ressaltados na prática clínica cotidiana, porém, extremamente vantajosos para idosos (Busse, 2008; Jacob Filho, 2006).

¹Informação extraída do livro Odontogeriatria Uma Visão Gerontológica

 

Número de hipertensos no Brasil chegará a 80% até 2025, segundo pesquisa

No Brasil, atualmente, o número de hipertensos chega aos 17 milhões, segundo informações do Ministério da Saúde. A previsão é que para o ano de 2025 esse número cresça 80%, segundo estudo conjunto da Escola de Economia de Londres, do Instituto Karolinska (Suécia) e da Universidade do Estado de Nova York. Cigarro, sedentarismo, obesidade, má alimentação e álcool são os motivos que elevarão o número de pessoas com hipertensão.

As doenças cardiovasculares são responsáveis por 33% dos óbitos com causas conhecidas, no Brasil. Além disso, essas foram a primeira causa de hospitalização no setor público, entre 1996 e 1999, além de responderem por 17% das internações de pessoas entre 40 a 59 anos e 29% daquelas com 60 ou mais anos.

TRATAMENTO

¹O prognóstico de pacientes com hipertensão é significativamente melhorado pela redução da pressão arterial. Controlar a hipertensão (que é assintomática) sem reduzir efeitos colaterais inaceitáveis, portanto, é uma necessidade clínica importante, que, em geral, é bem atendida pelos fármacos modernos.

O tratamento envolve medidas não farmacológicas (p. ex, aumento dos exercícios, redução do sal da dieta e das gorduras saturadas com aumento de frutas e fibras, redução do peso e do consumo de álcool) seguidas pela introdução gradual de fármacos, iniciando com aqueles que tenham benefício comprovado e que tenham a menor probabilidade de produzir efeitos colaterais.

Alguns fármacos usados para reduzir a pressão arterial nos primeiros tempos da terapia anti-hipertensiva, incluindo bloqueadores ganglionares, bloqueadores de neurônios adrenérgicos e reserpina, produziam um conjunto temível de efeitos adversos e agora estão obsoletos. Os esquemas preferidos mudaram progressivamente à medida que fármacos mais bem tolerados se tornaram disponíveis.

DIA DO FARMACÊUTICO

Hoje, dia 20 de janeiro comemora-se o Dia do Farmacêutico. A data que foi escolhida em 1916, tem o intuito de homenagear a Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF) que a época era a maior instituição representativa da categoria, no país.

¹Informação extraída do livro Rang & Dale Farmacologia 8ED