Está na mídia e na literatura

A cirurgia intima, deixou de ser um Tabu na sociedade e passou a ganhar espaço tanto na mídia quanto na literatura. Segundo dados coletados pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps), por volta de 12.870 mulheres brasileiras realizaram a cirurgia de labioplastia. Esse dado tornou o Brasil o país recordista em cirurgias íntimas femininas em 2015.

Pensando nesse contexto, a Elsevier lança a 1a edição da obra Cirurgia Íntima: Plástica Genital Feminina.

Cirurgia Íntima: Plástica Genital Feminina é um livro nacional que apresenta temas como: história da cirurgia íntima, anatomia, embriologia, labioplastia e suas diversas técnicas do ramo. O livro é uma boa ferramenta didática que utiliza uma linguagem visual como suporte para compreensão de conteúdos científicos e técnicos. É um excelente guia para o profissional da área.

Para saber mais sobre a obra e seus procedimentos, acesse Aqui

Entendendo o que vem de dentro

Você sabe qual é a principal função da parede abdominal?

“A parede abdominal desempenha um papel suplementar ao dos músculos intercostais, ao tórax e do diafragma na respiração. Funciona, principalmente, na expiração ao passo que o transverso do abdome e os oblíquos externo e interno aumentam a pressão  intra-abdominal para atender às demandas crescentes de respiração durante o exercício. Este aumento na pressão intra-abdominal é transmitido através do diafragma para o tórax e força o ar a sair dos pulmões”(trecho retirado da obra Atlas de Reconstrução da Parede Abdominal ).

Ao longo desses últimos anos, as técnicas e inovações referentes à reconstrução abdominal e correção de hérnias tem se desenvolvido muito. Pensando nesse quadro a Elsevier lança a 2a do livro Atlas de Reconstrução da Parede Abdominal.

O atlas utiliza um suporte ilustrativo para explicar seus conteúdos, que abrangem desde o pré até o pós-cirúrgico. Para cada novo procedimento que foi incluído na obra, há um vídeo explicativo que torna ao livro em um manual prático e moderno para o profissional do ramo.

Para acessar a obra, clique aqui

Seu corpo é compatível com os anti-inflamatórios?

Chegamos ao outono, uma das estações do ano mais propícias para contrairmos infecções na garganta, ouvido etc. Uma das formas de tratamento são os anti-inflamatórios não esteroides, conhecidos também como AINE. Você sabia que esses medicamentos fazem parte da lista do top 100 remédios? Entretanto nem todo mundo pode consumi-los.

As pessoas que possuem problemas como deterioração grave renal, insuficiência cardíaca e insuficiência hepática devem evitar ao máximo o uso desses medicamentos. Pensando na educação e na saúde dos pacientes, a Elsevier lança o livro Top 100 Medicamentos.

“Os efeitos principais dos AINEs são toxidades (GI), deterioração renal e risco aumentado de eventos cardiovasculares (CV) (ex, infarto do miocárdio e AVC). A probabilidade de efeitos adversos difere entre os AINEs. De todos os AINEs não seletivos (> 20 estão disponíveis), o ibuprofeno associa-se ao maior risco de efeito GI. O naproxeno e o ibuprofeno de baixa dose se associam ao risco aumentado de eventos CV” (trecho retirado da obra Top 100 Medicamentos).

A obra é uma bula em formato de livro.