Da superfície ao interior bacteriano

As bactérias estafilococos, estreptococos e enterococos são, geralmente, associadas a doenças. Entretanto, elas fazem parte da microbiologia do corpo humano. ”O simples isolamento de uma destas bactérias de uma amostra clínica não significa que há doença. As doenças ocorrem em grupos específicos de pacientes, em condições bem definidas, sendo então importante compreender sua epidemiologia” (trecho retirado da obra Microbiologia Médica Básica).

O livro apresenta várias curiosidades sobre o tema, leia algumas:

  • O Centers for Disease Control and Prevention (CDC) estima que ocorram 80 mil casos de infecções por Staphylococcus aureus resistentes à meticilina (MRSA) nos Estados Unidos e que haja anualmente mais de 11 mil mortes relacionadas com esta bactéria;
  • O Streptococcus pyogenes (estreptococos do grupo A) é a causa mais comum de faringite bacteriana;
  • O Streptococcus agalactiae (estreptococos do grupo B) é a causa mais comum de septicemia e meningite em recém-nascidos;
  • O Streptococcus pneumoniae é responsável por 3 mil a 6 mil casos de meningite, 50 mil casos de septicemia, 400 mil internações hospitalares por pneumonia e 7 milhões de casos de otite média, por ano, nos Estados Unidos, apesar da disponibilidade de vacinas eficazes;
  • A resistência à vancomicina nos enterococos foi descrita pela primeira vez em 1986, espalhou-se globalmente e atualmente cerca de 10% dos Enterococcus faecalis e mais de 90% dos Enterococcus faecium são resistentes a esta droga.

Saiba mais: https://bit.ly/2wk290E

Como sobreviver à faculdade de Medicina?

Passar no vestibular de Medicina não é fácil, mas chegar ao final dos seis anos de faculdade é uma tarefa ainda mais difícil! Para te ajudar nesta tarefa hercúlea, a Elsevier disponibilizou em sua plataforma digital o guia “Como sobreviver à faculdade de Medicina”.

O material, que passa por constantes atualizações, é uma coletânea de diversos materiais gerados a partir dos conhecimentos de alunos e profissionais que trabalham em parceria com a Elsevier. O humor e a interação com o estudante foram as maneiras encontradas para cativar o calouro de medicina nesse começo de faculdade.

Acesse o guia por aqui: http://www.comunicacao.elsevier.com.br/volta-as-aulas-2018

Por que Cecil é o melhor livro para a Medicina Interna?

Cecília Garcia Costa, editora da Elsevier, apresenta a nova edição do Cecil: Medicina, um super lançamento da Elsevier!

Desde 1927, Cecil: Medicina é a fonte mais influente do mundo sobre medicina interna. A 25ª edição traz uma novidade: além do conteúdo ricamente adaptado à realidade brasileira, os leitores terão acesso a atualizações contínuas, disponíveis em inglês e online, que integram as mais novas pesquisas e diretrizes e os tratamentos mais atuais a cada capítulo.

Confira- https://goo.gl/HbvsPT

Conheça mais de Cecil: Medicina 25ª edição clicando aqui: https://goo.gl/vezotV

Pesquisa de Preferência: saber para melhorar

 

Do dia 22 de março a 5 de abril fica disponível no Facebook uma rápida pesquisa de preferência sobre os recursos digitais disponibilizados pela Elsevier.  O público alvo são os estudantes de medicina, pois através do feedback deles é possível fazer um controle de qualidade e de preferências, para a melhoraria dos serviços.

Dentre os produtos avaliados no questionário estão: ClinicalKey, Up to Date, BMJ Best Pratice, DynaMed e Evolution.  Quem participa da pesquisa concorre a um voucher oferecido pela Amazon. Serão cinco vencedores.

A mesma pesquisa foi feita em março de 2017 e, além do Brasil, participaram estudantes de países como Espanha, Alemanha e França.

Para responder ao questionário basta acessar o link abaixo https://survey.us.confirmit.com/wix/4/p3086343124.aspx?mode=fp&l=22

Um guia de “como sobreviver à faculdade de Medicina”

Passar no vestibular de Medicina não é fácil, mas chegar ao final dos seis anos de faculdade é uma tarefa mais difícil ainda. Pensando neste cenário, a Elsevier disponibilizou em sua plataforma digital o guia “Como sobreviver à faculdade de Medicina”.

O guia é uma coletânea de diversos materiais gerados a partir dos conhecimentos de alunos e profissionais que trabalham em parceria com a Elsevier. Através do humor e da interação com o estudante, o guia utiliza recursos textuais e visuais para auxiliar o calouro de medicina nesse começo de faculdade.

Para ter acesso ao guia clicar aqui

Se prepare para o volta às aulas

 

Depois de um período de festas e muito descanso, é hora de recomeçar o ano letivo a todo vapor! O novo período chegou e com ele sempre rola uma grande ansiedade de conhecer novos colegas ou rever os amigos.

Pensando nesse momento de volta às aulas, preparamos um conteúdo especial para os estudantes de medicina chegarem tinindo no novo semestre.

A principal função das hemácias, também conhecidas como eritrócitos, consiste no transporte de hemoglobina, que, por sua vez, leva oxigênio dos pulmões para os tecidos. Em alguns animais, a hemoglobina circula como proteína livre no plasma, não como integrante das células da linhagem vermelha. Quando livre no plasma do ser humano, cerca de 3% do total da hemoglobina extravasam, através da membra­na capilar para o espaço intersticial, ou através da ­membrana glomerular do rim para o filtrado glomerular, a cada vez que o sangue passa pelos capilares. Assim, a hemoglobina deve permanecer dentro dos glóbulos vermelhos para executar eficazmente as suas funções nos seres humanos.

A pergunta abaixo foi retirada do livro “Guyton E Hall Tratado De Fisiologia Médica 13ª edição” para você estudar.

Durante o segundo trimestre da gravidez, onde é o local predominante da produção de hemácias?

A) Saco vitelino

B) Medula óssea

C) Linfonodos

D) Fígado

A resposta correta é a D. A produção de hemácias inicia-se no saco vitelino durante o primeiro trimestre. A produção no saco vitelino diminui no início do segundo trimestre e o fígado torna-se a fonte predominante de produção de hemácias. Durante o terceiro trimestre, a produção de hemácias aumenta na medula óssea e continua ao longo da vida.